A moção de repúdio foi divulgada pelo reitor da universidade, João Carlos Salles

Uma professora da Universidade Federal da Bahia (UFBA) foi ameaçada de morte por ser pesquisadora sobre gênero. A ameaça surgiu devido ao conteúdo de pesquisa da profesorra que faz parte do Núcleo de Estudos Interdisciplinares sobre a Mulher (NEIM). A moção de repúdio foi divulgada pelo reitor da universidade, João Carlos Salles.

De acordo com o jornal O Globo, a moção foi apresentada pela diretora da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Maria Hilda Baqueiro Paraíso, e aprovada pelo Conselho Universitário da universidade. A votação ocorreu no dia 13 de novembro, e o texto foi divulgado na segunda-feira (20).

“Nos posicionamos, portanto, contrários às investidas reacionárias que buscam calar o livre debate de ideias e silenciar todo um campo de estudos legitimamente construído e que é fundamental para que possamos ter uma sociedade menos violenta e desigual. A perseguição à liberdade de expressão cultural e científica nos envergonha e nos ultraja e é uma afronta aos princípios da democracia”, diz a moção.

A UFBA disse também que houveram outras duas “tentativas de cerceamento” envolvendo estudos sobre “gênero, diversidade, mulheres e feminismo”: a tentativa de impedimento de defesa de um dissertação de mestrado, de um aluno do Instituto de Humanidades, Artes e Ciências (IHAC); e a “e a perseguição e ridicularização nas redes sociais de projetos de pesquisa e extensão que versam sobre essas temáticas”.

Fonte: Notícias ao Minuto

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here