Para correr é preciso ter energia e para ter energia é preciso comer

A prática de exercício físico pede sempre um plano alimentar personalizado, de acordo com as necessidades do atleta e do tipo de treino realizado. Além da importância de ter uma alimentação equilibrada, é fundamental olhar para os alimentos como principais combustíveis do corpo humano, e os lanches pré-treino são uma das refeições com mais peso na performance dos atletas.

No caso dos corredores, aquilo que se come ao longo do dia dita o quão longe e o quão rápido o atleta consegue ir, sendo, por isso, um dos fatores com mais peso na capacidade de aguentar as corridas longas sem que os níveis de energia fiquem comprometidos.

Embora o plano alimentar varie de atleta para atleta, a verdade é que o corpo humano recorre sempre aos açúcares e às gorduras como fonte de energia, devendo ser estes os macronutrientes que devem constar num pré-treino (e a proteína no pós-treino).

De acordo com o El Confidencial, antes de uma corrida longa – como uma meia maratona ou até mesmo uma maratona -, o atleta pode recorrer a uma dieta rica em carboidratos nas 48 horas antes da prova. Arroz, massa, pão, batatas e cereais integrais são os melhores aliados. Neste plano, as frituras devem ser excluídas (por nada de bom acrescentarem à saúde). Frutas cítricas e verduras cruas são digeridas mais lentamente, por isso também não devem constar no cardápio, bem como as bebidas alcoólicas.

E como a gordura também é uma fonte de energia, os atletas devem incluir no seu plano alimentar o abacate, as nozes e castanhas, os peixes gordos e até mesmo um pouco de carne vermelha, embora o consumo desta última deva ser moderado.

Nos momentos que antecedem a corrida longa, a banana é uma excelente aliada por conta do potássio.

Fonte NM.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here