Demora foi ocasionada por falta de equipamento e burocracia em hospitais do interior de SP

Um morador de Ferraz de Vasconcelos, no interior de São Paulo, ficou com uma prótese dentária entalada na garganta por mais de 40 horas, enquanto aguardava atendimento para a retirada do material. A demora ocorreu devido à falta de um aparelho de endoscopia no Hospital Regional da cidade e à burocracia para transferência do paciente para outra unidade de saúde. O procedimento foi realizado na manhã dessa quinta-feira (11) no hospital Santa Marcelina de Itaquera.

Antonio Monteiro Cantalice, de 59 anos, engasgou com a prótese dentária na última terça-feira (9). “Corremos com ele para o hospital regional de Ferraz. Chegando lá, fizeram o raio-X e disseram que era necessário fazer uma endoscopia para ver como está a situação por dentro, já retirar ou já fazer uma cirurgia. O problema é que o hospital está sem o aparelho de endoscopia há dias e ai começou a nossa corrida contra o tempo”, contou a filha dele, Michele Maria Cantalice.

Por conta da falta do equipamento, a equipe médica do hospital solicitou a transferência do paciente para uma unidade onde pudesse realizar o procedimento. De acordo com o ‘G1’, a transferência foi autorizada pela Central de Regulação de Ofertas de Serviços de Saúde (CROSS) no começo da noite de terça-feira (9). O paciente seria atendido no dia seguinte no hospital Santa Marcelina de Itaquera.

O transporte de Antonio também enfrentou dificuldades. “O hospital regional de Ferraz não tinha ambulância para levar meu pai, então ele ia perder a vaga. Fui na Ouvidoria do hospital, onde fui muito bem tratada e, depois de uma força-tarefa, meu pai foi transferido em um carro normal para o Santa Marcelina, acompanhado de uma enfermeira. Mas ai tivemos mais problemas”, disse.

De acordo com a filha, o Hospital Santa Marcelina de Itaquera não quis realizar o procedimento porque o paciente deveria estar acompanhado de um médico do hospital de origem, mas isto não foi avisado anteriormente.

A endoscopia foi feita na manhã dessa quinta-feira (11) e a prótese dentária retirada na sequência. O procedimento durou cerca de 20 minutos. O paciente retornou ao Hospital Regional de Ferraz e recebeu alta no fim da tarde.

Agora, a família vai pagar por exames particulares para saber se o tempo em que a prótese ficou entalada na garganta causou alguma lesão. Se houver, a família afirma que vai processar o Estado.

Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, “o Sr. Antônio foi prontamente atendido, assim que deu entrada na unidade, passando por classificação de risco e avaliação médica. Como o paciente apresentava condições clínicas estáveis e sem correr risco iminente, ele foi encaminhado o mais rápido possível para o Santa Marcelina de Itaquera em carro oficial devidamente acompanhado de um profissional de saúde, para passar por exames específicos. Ou seja, o quadro clínico do Sr. Antônio não configurava a necessidade de ambulância. O Hospital Regional de Ferraz de Vasconcelos está à disposição dos familiares para quaisquer esclarecimentos.”

Fonte: Notícias ao Minuto

Por: MP

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here