Advertência é represália por um alerta semelhante emitido por Washington aos cidadãos norte-americanos que se desloquem ao país euro-asiático

Turquia advertiu nesta sexta-feira (12) os seus cidadãos sobre os perigos de viajar para os Estados Unidos, em represália por um alerta semelhante emitido por Washington aos cidadãos norte-americanos que se desloquem ao país euro-asiático.
“Os cidadãos turcos, incluindo os que possuam cargos públicos e viagem para os EUA em função oficial, podem estar sujeitos a detenções arbitrárias motivadas por declarações de fontes sem credibilidade”, assegurou em comunicado o Ministério dos Negócios Estrangeiros turco.

Esta advertência surge dois dias após o Departamento de Estado ter alertado os seus cidadãos que pretendam deslocar-se à Turquia, referindo-se à eventualidade de ataques terroristas ou detenções arbitrárias.

O comunicado turco, apesar de não o mencionar, parece referir-se à detenção do banqueiro turco Hakan Atilla, julgado em Nova Iorque por uma suposta operação fraudulenta destinada a evitar as sanções contra o Irã entre 2011 e 2012.

O Governo turco considerou que este julgamento foi feito sob a pressão do teólogo turco Fethullah Gülen, até 2013 aliado do executivo de Ancara e desde então um inimigo acirrado, que é acusado de ter fomentado o fracassado golpe militar de julho de 2016.

“Nos julgamentos efetuados contra os nossos cidadãos podem ser emitidas decisões judiciais que deem credibilidade a calúnias ou declarações falsas, previamente fabricadas, de testemunhos de membros ou simpatizantes da organização terrorista FETÖ”, a designação atribuída pelas autoridades turcas aos apoiadores de Gülen.

A nota recorda ainda o aumento de “ataques terroristas e acontecimentos violentos” nos Estados Unidos.

“Continua a ser provável que o centro das cidades, atividades culturais, estações de metrô, edifícios públicos, locais de oração e recintos escolares sejam o objetivo de atos terroristas armados ou com bombas e de ataques com veículos contra multidões”, adverte.

O comunicado cita os acontecimentos no Ohio, Fort Lauderdale, Minnesota, Texas, Charlotteville e Nova Iorque para recomendar que aos viajantes turcos que tomem “precauções” quando se deslocaram aos Estados Unidos.

As relações entre a Turquia e os EUA deterioraram-se desde o golpe falhado de julho de 2016, mas recentemente parecia ter sido ultrapassada uma crise diplomática que motivou o fim da emissão de vistos dos EUA na Turquia após a detenção de um funcionário turco da representação diplomática norte-americana.

Há 18 meses a Turquia pede a extradição de Gülen, exilado e residente nos EUA desde 1999, mas a justiça norte-americana tem considerado que a pretensão de Ancara não contém provas suficientes sobre a suposta atividade criminal do pregador. Com informações da Lusa.

Fonte: Notícias ao Minuto

Por: MP

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here